O leito de Procrusto (Luis Antonio Quintino da Silva)

A obra

Um livro de excessos. Neste “Leito”, tudo parece exagero. Até a descrição das pequenezas. As palavras difíceis ultrapassam o pedantismo. Os personagens, na maioria, pouco mostram da essência do humano. E todos a encontra infelicidade, mesmo os poucos que pensam buscar o verdadeiro oposto. Bíblia, I-Ching e Bhagavad-Gitâ, gregos antigos, russos desajustados, franceses visionários, autores de todos os tempos e rincões do planeta, reduzidos a um “excesso de citações inúteis”, como afirma um próprio personagem. Ferramentas literárias consagradas são usadas com habilidade… para confundir ainda mais: quem é este autor, caro leitor, que lhe pede – e aos personagens – conselhos? Não há segredos: a vida se equilibra no aparente confronto dos opostos. Mas quem tem calma, na queda rumo ao fim que não tem hora, para degustar conhecimentos? Neste seu romance de estréia, Luís Quintino cria uma teia de aparentes dificuldades para quem o vai ler. Uma teia que, na verdade, é apenas um teste: você tem coragem para o que está por vir a ler?

O autor

Luis Antonio Quintino dos Santos.
É médico, epileptologista em São José do Rio Preto, São Paulo. Na adolescência foi jogador de futebol (goleiro na Portuguesa de Desportos). Depois fez Oceanologia na cidade de Rio Grande, Rio Grande do Sul. Trabalhou na área como pesquisador (Bioquímica Marinha) e professor universitário de Química. Voltou para São Paulo e por dois anos foi professor de Química e Biologia no ensino público. Voltou a estudar e iniciou curso de Medicina em Maringá, Paraná. No terceiro ano transferiu-se para São José do Rio Preto. Sempre em constante mudança, nunca se movendo. Agora, envereda na carreira literária com “O leito de Procrusto”.