Little Purple Rains: a historinha da mulher-menino

Sobre a obra

“Little Purple Rains – a historinha da mulher-menino faz parte de uma coletânea de romances nomeada Little Purple Rains, nascida de jogos de RPG na internet, entre o autor e outros escritores interativos de RPG (role playing game) na internet. E destaca um período de dois anos (2010 a 2012) de jogos entre a autora/autor (Dinamara Garcia Rodrigues ou Daniel Rodrigues) e seu parceiro Ys.
Narrativa de alguns dias nesses dois anos de paixões escritas e aprisionadas dentro do silêncio da palavra e do afeto não vividos, é parte de uma saga do amor e do sexo nos tempos da rede mundial de computadores, com seus bilhões de hiperlinks, como algo fundamental, definidor e definitivo da obra que permite.
Os sentidos do que se conta são guiados por trilhas sonoras e vídeos que acabam fazendo parte da história porque as músicas, principalmente, guiam construções de personagens, mas vão além, afinal, trata-se de muitas narrativas em que mais de uma banda e até uma orquestra sinfônica se configuram como organismos vivos, personagens mesmo, e são muito, muito importantes na vida das personagens da narrativa de dentro e da narrativa de fora.
As ilustrações assinadas por Reider Pereira são muito orgânicas, anacrônicas, quase vintages, transformando a palavra carregada de afeto e vitalidade na cor que todas as crianças – mesmo as que moram nos adultos – desejam ver e vivenciar como reinos de sonho e doçura que perdemos o hábito de procurar.
Muitas vezes com jeitinho de passado e novela de época, A historinha da mulher-menino é apenas outro nome para uma nova manifestação do velho amor, um velho amor terno e arrebatador. Todos nós que compomos estas obras garantimos ao leitor esse arrebatamento, nascido exatamente do fato de o amor, ou melhor, o redimensionamento do amor, ser o mote principal da obra e da coletânea.

Sobre a autora

Escrito por uma pessoa que nasceu oficialmente mulher, continua sendo legal e socialmente mulher, mas aos três aninhos se descobriu um menino gay no corpo de uma menininha, este romance colorido, ilustrado e vivo sobre transgeneralidade/transexualidade e a imersão na literatura interativa, constitui uma saga de afeto, alegria, luz e escuridão a respeito do poder libertador e transfigurador do texto enquanto “o corpo certo” e do amor enquanto motor de todos os mitos.

Atenção: a compra deste livro deve ser feita diretamente com a autora. Se você se interessou pela obra, mande um e-mail para contato@vitrineliteraria.com.br, que repassaremos para a Dinamara.