Nossa vez de viver (Eliana Silva)

A obra

Um dos maiores segredos da poesia, a meu ver, é a concisão. Bem dizia o Drummond, que “escrever é cortar palavras”. Talvez chegar ao preciosismo de deixar sobrar só uma, mas aí seria preciso uma “instalação” pra se entender o processo.

Por isso a surpresa da gente quando, em maio do ano passado, começamos a ler os originais de um livro, mistura de poesia & prosa, que a Eliana Silva passou para a editora. Muitos textos curtos, quase uma vinheta:

Sentimento é coisa fina; por isso
tantas vezes espeta.” (Agulhadas)

De vez em quanto, uma pitada de Adélia Prado:

Amor platônico não existe. O que existe é
amor guardado.

Simples, e direta:

Licença?
Vou te tirar da tomada pra não
levar mais choques.”

A autora

Eliana Silva é de Mogi Guaçu, SP. Nasceu aos 21 de setembro, dia da árvore. Caçula de seis irmãos, foi a única a trazer nas veias o “vírus” da arte. Quando menina, preferia a leitura de um livro a qualquer brincadeira de rua ou em  casa de colegas. Seu primeiro: Peter Pan. Escreve desde criança, venceu vários concursos. Atualmente, dedica-se, além da literatura, à fotografia amadora e à prática de sua fé: Católica Apostólica Romana. Frequenta assiduamente a Santa Missa e Grupos de Oração.